Transtornos Alimentares 1

O que são transtornos alimentares?

Você sabe quais são os tipos de transtornos, causas, sintomas e tratamentos? Veja como a Nutrologia avalia e pode ajudar.

Transtornos alimentares podem ser decorrentes de hábitos alimentares não saudáveis que causam problemas à saúde como a falta de vontade de comer ou consumo excessivo de alimentos.

Os transtornos alimentares são comuns na adolescência e no começo da vida adulta. Eles estão relacionados a uma série de consequências psicológicas, como ansiedade e pressões sociais para o chamado ‘corpo perfeito’.

Embora esses distúrbios sejam mais frequentes com pessoas do sexo feminino, com faixa etária entre 12 e 25 anos, as pesquisas (Psiquiatras do Reino Unido) mostram que houve um aumento de 67% em homens entre 26 e 40 anos.

Estes pesquisadores que realizaram o estudo concluíram que uma parte considerável desses transtornos alimentares está ligada ao comportamento atual e influenciado pelas redes sociais.

A Nutrologia trata os transtornos alimentares como um assunto complexo, que pode ser resolvido e que precisa de muita atenção e seriedade. Durante o tratamento a Nutrologia analisa diversos fatores biológicos e sociais com o objetivo de tratar e prevenir, por isso separamos os tipos, causas, sintomas e como cada transtorno alimentar pode ser tratado.

O que pode causar um transtorno alimentar?

Pessoas com depressão, ansiedade e transtorno obsessivo-compulsivo estão propensas a um distúrbio alimentar.

Fatores de risco:

  • Culto excessivo ao corpo;
  • Maus hábitos alimentares;
  • Distorção da imagem corporal;
  • Autoestima baixa;
  • Sentimento de culpa;
  • Questões hormonais;
  • Distúrbios emocionais.

Tudo isso está ligado às seguintes condições: saúde psicológica, sociocultural, biológica e genética.

Conheça os tipos e sintomas de transtornos alimentares

  • Anorexia Nervosa;
  • Bulimia Nervosa;
  • Transtorno de Compulsão Alimentar;
  • Hipergafia;
  • Ortorexia;
  • Síndrome de Pica (alotriofagia);
  • Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP);
  • Vigorexia.

Veja a explicação sobre cada um desses transtornos alimentares e como a nutrologia pode tratá-los:

Anorexia Nervosa e a Nutrologia

Pacientes diagnosticados com anorexia nervosa se autoavaliam com excesso de peso – ainda que estejam abaixo do peso ideal. Exercício físicos exagerados, uso indevido de laxantes, diuréticos, entre outros, fazem parte da rotina do portador de anorexia nervosa.

Sintomas:

  • Peso corporal extremamente baixo (perda de massa e gordura);
  • Restrição alimentar severa;
  • Falta de vontade para manter um peso normal e saudável;
  • Preocupação em não ganhar peso;
  • Distorção da imagem corporal;
  • No caso das mulheres, inibição do ciclo menstrual;
  • Gastrite;
  • Descamação e pele seca;
  • Hipotermia;
  • Anemia.

Tratamento

O primeiro passo é hidratar organismo. A assistência de um bom psicólogo, uma nutróloga e terapias, além de medicamentos, faz parte das indicações de tratamentos para a anorexia nervosa.

A participação e apoio da família é fundamental para um bom resultado.

Bulimia Nervosa e a Nutrologia

Pessoas diagnosticadas com bulimia nervosa comem em grande quantidade. Vômitos forçados, uso de laxantes e diuréticos, jejum e exercícios físicos excessivos, estão na rotina de quem é portador desse transtorno alimentar. Esses comportamentos podem ocorrer em qualquer lugar e em várias vezes na semana e ao dia.

O que diferencia a bulimia da anorexia nervosa é que uma boa parte dos pacientes conseguem preservar o peso que é considerado saudável pelo Índice de Massa Corporal (IMC).

Sentimentos de vergonha e desprazer estão no comportamento do bulímico, por isso a execução das práticas costumam ocorrer em segredo.

Sintomas:

  • Crônica inflamada e dor de garganta;
  • Problemas nas glândulas salivares, como inchaço na região do pescoço e da mandíbula;
  • Erosão do esmalte dentário devido ao ácido do estômago, em decorrência dos vômitos;
  • Descomodidade intestinal e irritação devido ao abuso de laxante;
  • Desidratação grave da purga de fluidos;
  • Desequilíbrio de eletrólitos (níveis muito altos ou muito baixos de sódio, cálcio, potássio, entre outros);
  • Sangramento retal, quando utilizado laxantes

Tratamento

A participação da família também é indispensável. O paciente precisa sentir que não está sozinho e que sua família não sente vergonha da situação e quer ajudá-lo a sair dessa vitorioso.

Os especialistas indicados são clínicos, psicólogos, psiquiatras e os nutrólogos, além de terapias individuais de grupo ou com a família. A terapia cognitivo comportamental costuma ser muito recomendada.

Transtorno de Compulsão Alimentar e a Nutrologia

A compulsão dos distúrbios alimentares é a mais comum. Pode ser vista em pessoas que perdem o controle sobre o consumo de alimentos. Ao contrário da bulimia e anorexia nervosa, as pessoas com transtorno compulsivo, após os períodos de compulsão alimentar, não seguem comportamentos compensatórios (como exercício físico excessivo ou jejum).

É comum os pacientes geralmente terem sobrepeso ou obesidade. O fator preocupante é que eles são as pessoas com maiores riscos de desencadear doenças cardiovasculares e pressão arterial elevada.

*Culpa, vergonha e angústia em frente à situação, são sentimentos que podem levar à uma compulsão excessiva.

Tratamento

Para um tratamento com bons resultados também é o diagnóstico precoce. Um clínico, psicólogo e nutricionista são um dos especialistas indicados como recursos terapêuticos; e assim como os demais, a interação da familiar é primordial.

Distúrbios alimentares menos conhecidos

Além da anorexia nervosa, bulimia e a compulsão alimentar, existem outros distúrbios alimentares menos conhecidos. Listamos abaixo cada transtorno, seus sintomas e tratamento.

Hipergafia

A hipergafia deriva de um transtorno mental, onde o paciente sofre de problemas traumáticos que enfrentou em algum momento da vida. Entre eles estão: perda de uma pessoa querida ou até de bens materiais e acidentes.

Sintomas:

  • Ganho de peso rápido;
  • Ansiedade;
  • Sintomas depressivos;
  • Em alguns casos, sentimentos de culpa;
  • Inibição do convívio social.

Tratamento

A hipergafia tem cura. A assistência de profissionais como clínicos, psicólogos e nutricionista e uso de medicamentos, ajudam no tratamento desse transtorno, além da intervenção familiar.

Ortorexia Nervosa e a Nutrologia

A Nutrologia relaciona a ortorexia com a obsessão por alimentos saudáveis e nutritivos de forma exagerada. Ou seja, a pessoa diagnosticada com ortorexia excluiu uma grande quantidade de alimentos com químicas, agrotóxico ou aditivos.

A parte preocupante nisso é que o paciente fica preso nesse cenário. Na maioria dos casos a insatisfação com o corpo o leva a compulsão pelos alimentos saudáveis.

Por não ser muito conhecida, pessoas podem ser portadoras da ortorexia sem saber. Se você tem alguns dos sintomas abaixo, consulte uma Nutróloga ou uma especialidade clínica.

Sintomas

  • Não ingerem alimentos com sal, açúcar e gordura – o que pode provocar a exclusão de alimentos que são ricos em gorduras boas para o organismo;
  • Quando ‘caem na tentação’ e comem algo fora do planejado, costumam ter o sentimento de culpa – e em alguns casos, levando-os à depressão;
  • Preferem não solicitar ajuda de especialistas da nutrição;
  • Perda de peso excessivo;
  • Dieta restritiva;
  • Dificilmente irá comer algo que não foi preparado em casa;
  • Anemia;
  • Isolamento social.

Tratamento

Embora parece inofensiva, a ortorexia precisa ser tratada. Orientação médica, psicológica e de uma nutróloga são indicadas no tratamento.

Alotriofagia

A pessoa que com alotriofagia ou Síndrome de Pica – como é conhecida – consome substâncias não nutritivas (como tijolo, batom, carvão, entre outras). O desejo por esses elementos é classificado como ‘transtorno mental’. Comum em grávidas e crianças.

Sintomas:

  • Intoxicação;
  • Prejuízo no desenvolvimento físico e mental.

Tratamento

O acompanhamento com uma nutróloga, um clínico e um psicólogo poderá ajudar o paciente com esse tipo de transtorno.

Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP) e a Nutrologia

Na visão da nutrologia, o paciente com TCAP consome alimentos em grandes quantidades e num período de tempo demarcado – mais comum, a cada duas horas.

Estima-se que entre 27 e 47% das pessoas que fazem cirurgia bariátrica tenham esse transtorno.

O que o diferencia da bulimia nervosa é a não utilização dos métodos compensatórios – laxantes, vômitos e diuréticos.

Sintomas:

  • Sem controle sobre o que e quanto comeu;
  • Sentimentos de angústia subjetiva;
  • Costuma comer muito rápido;
  • Vergonha;
  • Baixa autoestima;
  • Sintomas de depressão;
  • Transtorno Bipolar;
  • Sobrepeso e obesidade;
  • Colesterol acima da média.

Tratamento

Uso de medicamentos – entre eles o antidepressivo – terapia cognitivo-comportamental, acompanhamento de um psicólogo e uma nutróloga são indicados para o tratamento da TCAP. A psicoterapia é um caminho muito importante para que o paciente aprenda a entender os gatilhos que levam ao comer compulsivo.

Vigorexia e a Nutrologia

A vigorexia é um transtorno de ansiedade que faz com que o paciente tenha uma distorção de sua imagem. Comum com pessoas do sexo masculino, a vigorexia também é conhecida pelos exercícios físicos intensos.

O que a diferencia da anorexia nervosa é que o paciente costuma se enxergar mais fraco do que realmente está, por isso a compulsão pelo aumento de massa.

Sintomas:

  • Preocupação exagerada;
  • Distorção da autoimagem;
  • Tendência a automedicação;
  • Métodos extremos de treino;
  • Dietas rigorosas;
  • Abuso de esteroides, cirurgias plásticas desnecessárias;
  • Em raros casos, tentativas de suicídio.

Tratamento

Avaliação médica, nutricional e psicológica, uso de medicamentos para controlar a ansiedade, além de tratamentos terapêuticos envolvendo a família e amigos, fazem parte do tratamento.

Os distúrbios alimentares têm cura, mas se não tratados podem levar o paciente a óbito. Por isso é importante manter um cuidado especial e na medida certa – com você, com seus amigos, família e pessoas próximas.

Agendar